Coaching Instrucional


Sua importância no contexto Educacional

Quando falamos em Coaching, ainda existem muitas dúvidas sobre esta poderosa ferramenta.
Mas o que seria o Coaching?
Coaching é um processo, uma metodologia de orientação direta de pessoas ou equipes visando melhorar desempenho e resultados, sejam pessoais ou profissionais.
Atualmente esta metodologia vem sendo difundida em diversos contextos. Ainda pouco explorado no Brasil, o tema vem sendo objeto de diversos estudos e aplicações em diversas instituições educacionais nos Estados Unidos.
O processo de coaching na educação é um interessante caminho para que os docentes possam fortalecer, implementar e persistir em práticas instrucionais inovadoras em sala de aula. Para que haja mudanças dentro do ambiente escolar, alguns especialistas, ou coaches instrucionais asseguram que é fundamental promover durante o processo trocas, novas posturas, parceria, visão sistêmica e insights.
O coach instrucional é um profissional que atua como agente de mudança que propicia ao seu coachee (educador) desenvolver-se e melhorar sua performance elevando sua visão e mentalidade,aprimorando técnicas baseadas em diversas pesquisas, buscando alcançar resultados mais expressivos em suas práticas educativas.



Fonte: http://oklahomainstructionalcoaching.org/instructional_coaching.html


 Contribuição Roberta Roveda - Coach e Andrea Araújo - Coach

Candidato inconveniente

Ultimamente tenho analisado essa geração e tenho encontrado alguns pontos que me incomodam, as pessoas perderam a noção do que são regras, o mais interessante é que mesmo assim acham que estão certas.

As vezes o que parece uma coisa boba pode gerar um transtorno enorme e quem quis causar uma boa impressão acaba perdendo uma boa oportunidade.

segue uma historinha para ilustrar:

A empresa X precisa substituir uma pessoa mas como é uma empresa enxuta não tem como fazer o processo seletivo sem que isso gere um alarde dentro da empresa.
Para minimizar a situação faz a divulgação da vaga e pede para que os candidatos enviem o currículo para um e-mail de um provedor gratuito.

O título da vaga é; "Vaga de XXX para uma empresa do ramo Y na região Z de São Paulo"
Enviar Cv para e-mail xxxxxxx@provedorgratuito.com.br
Atividades:
Salário:
benefícios:
etc, etc, etc....
O Nome da empresa será divulgado apenas para os selecionados para entrevista

Foram tomados todos os cuidados para manter o sigilo.

Tudo caminhando bem até que a empresa X recebe uma ligação de uma pessoa perguntando se tem vaga (coisa normal do dia a dia de um RH). A pessoa do RH diz que não tem vagas abertas mas se a pessoa quiser mandar um currículo pode enviar para o e-mail do RH.
A pessoa do outro lado da linha diz, você tem certeza que não tem vagas abertas.
No momento não temos mas aceitamos currículos para eventuais vagas que possam surgir.
O dito candidato solta a seguinte frase:
Não entendo por que você está mentindo, vi um anuncio para a vaga XXX e dizia que era para uma empresa do ramo Y na região Z. Bom já liguei em todas perguntando da vaga e sua empresa é a última, se não era nenhuma delas então é a sua. Olha moça vou ser bem claro, eu sou um ótimo candidato e não quero participar de um processo com um monte de gente. Posso ir ai amanhã fazer a entrevista.
A resposta do outro lado da linha foi simplesmente: não, você não pode pois não temos vagas.


Isso pode parecer piada mas aconteceu realmente.

Uma dica aos candidatos:

Se a empresa não divulgou o nome é por algum motivo, não tente adivinhar nada, não é brincadeira de adivinhação.

Agora imagine o transtorno que você pode ter gerado nas demais empresas com esse discurso ridículo e inadequado.

Se em algum momento você ouviu que ter atitude agrada o selecionador creio que você não entendeu direito o que é atitude, a sua ação foi falta de respeito e não atitude.

Se você que está lendo esse post já tentou burlar alguma regra de um processo seletivo fica a dica:
as regras existem para serem cumpridas o que para você pode parecer iniciativa pode ser visto pelo selecionador como falta de educação.

Não seja o candidato inconveniente.


Dinâmica: A Família ideal

Público: grupos de jovens que se reúnem a algum tempo.

Material: oito corações de papel; em cada um deles estará escrito uma característica da família ideal: comunicação, respeito, cooperação, união, compreensão, fé , amizade, amor.

Desenvolvimento:

  1. O animador convida os presentes a formarem, espontaneamente, equipes em número não inferior a cinco pessoas. Escolhem um nome de família e, colocando-se a uns cinco metros do animador, ouvem as regras da dinâmica. A dinâmica consiste em descobrir a equipe que melhor reflete as características de uma família ideal. Para isso, todos devem enfrentar uma série de provas. Para algumas, são concedidos vários minutos de preparação. Outras, porém, devem ser realizadas de imediato. A família (equipe) que vence uma prova, recebe um coração. As últimas atividades realizam-se em conjunto (duas equipes se unem). 
  2. O animador vai propondo as equipes as diferentes provas: 
  • A família que chegar primeiro junto a ele, com a lista de todos os seus integrantes, recebe o coração da Comunicação.
  •  A família que melhor representar uma cena familiar, recebe o coração do Respeito. Dispõem de quatro minutos para a preparação desta prova. 
  •  A família que conseguir formar primeiro uma roda de crianças, recebe o coração da Cooperação.
  • A família que conseguir primeiro cinco cadernos e cinco lápis ou canetas, recebe o coração da Compreensão. 
  • A família que melhor representar, através da mímica, um ensinamento de Jesus, recebe o coração do Amor. As equipes dispõem de quatro minutos para preparar esta prova. 
  • As famílias (nesta prova, trabalha-se em conjunto com outra equipe) que apresentarem a Miss ou o Mister mais barrigudo (usam-se roupas), recebem o coração da União. As equipes dispõem de três minutos para se preparar. 
  • As famílias (as mesmas equipes em conjunto) que apresentarem o melhor conjunto vocal, recebem o coração da Amizade. As equipes dispõem de quatro minutos para se preparar. 
  • As famílias (as mesmas) que apresentarem o melhor “slogan” recebem o coração da Fé. Dispõem de quatro minutos para se preparar.
Em equipe avalia-se a experiência: .


  • Para que serviu a dinâmica ? 
  • Como cada um se sentiu durante o exercício ? 
  • Como foi a participação de sua equipe ? 

As respostas são comentadas em plenário e, a seguir, associa-se esta experiência à vida do grupo.

  • De que maneira pode associar a dinâmica à vida do grupo ?
  • Que podemos fazer para que haja mais integração ?

Dinâmica das Boas notícias

Público: Grupos de jovens ou de adultos

Material: uma folha de papel e lápis para cada pessoa.

Desenvolvimento:

  • O animador pode motivar o exercício da seguinte maneira: “Diariamente, todos nós recebemos notícias, boas ou más. Algumas delas foram motivo de grande alegria e por isso as guardamos com perfeita nitidez. Vamos hoje recordar algumas dessas boas notícias “. 
  • Logo após, explica como fazer o exercício: os participantes dispõem de 15 minutos para anotar na folha as três notícias mais felizes de sua vida. 
  • As pessoas comentam suas notícias em plenário, a começar pelo animador, seguido pelo vizinho da direita e, assim, sucessivamente, até que todos o façam. Em cada uma das vezes, os demais participantes podem dar seu parecer e fazer perguntas. 
  • Avaliação . Para que serviu a dinâmica ? . O que descobrimos acerca dos demais ?
Google Analytics Alternative